sábado, 26 de maio de 2007

Depois do umbilical

São as vias que interligam a filha adulta

Quase puta, ainda jovem

Morre de overdose

Múltipla dos órgãos

Geniais São Paulo, são marcos

Que param o trânsito no vermelho

E preto do flamingo

Sujo na Lama

Triangular de urubus famintos

Por uma galinha depenada

E morre na praia

Poluída pelo fogo que cessa

Ter vale ar da cruz

Do Papa

Móvel e estagnado

Na mesa idéia

Genital crescer e gozar

A vida má é ser do mau

A vida boa é ter o mal

E amém

3 comentários:

Douglas disse...

''O mal verdadeiro,o único mal,são as convenções e as ficçoesque se sobrepõem às realidades naturais''
Fernando Pessoa(s)

Leonardo ViSo disse...

hummm
gostei... ainda não sei por que vc usa "versos", mas estão legais os textos... é gostei

Larissa (aka Leurys) disse...

Ah... agora sim!! Esse blog tá mais a sua cara!! Aquele outro tava muito ruinzinho!! Esse aqui promete... sinto isso!!
B'jos.