domingo, 9 de setembro de 2007

H3 um vídeo coletivo

Como é impossível existir a imparcialidade na informação, venho agora comunicar de uma maneira bem feliz e empolgante que o vídeo H3 venceu o maior festival audiovisual universitário do estado, o REC. Foi na categoria de melhor ficção. Gostaria de agradecer a toda equipe que fez o vídeo acontecer. Irene, Zênia, Johnnys, Gustavo, Willian, Claudinha, Joany, Jussara, Patrícia, Daniele, Iza, Alexandre, Davison, o elenco, entre outros. Mas também quero registrar e agradecer a essencial participação do compositor das trilhas, Bruno Soares, que acabou por ficar um pouco apagado nos créditos finais do vídeo, por motivos de correria pra entregar o dvd, mas é dele o grande mérito musical de H3. É claro que na trilha tivemos a contribuição de outros mega músicos, como Nery, Gustavo, Gessé, Cris e Fernando. Uma outra correção de crédito é do nome do Igor Pontini que lá ficou Tontini, sacanagem né, ele que formou uma ótima dupla de câmera com o Sossai.

Gente eu recebi o prêmio das mãos do diretor e roteirista Jorge Furtado, muito bom! Fiquei super se achando durante uns 3 dias.



O Festival REC também merece os parabéns por toda organização invejável a qualquer festival nacional. Ainda mais se pensado na dificuldade que é produzir algo cultural e atingir um grande público. Registro que o REC que me refiro, são os alunos que idealizaram e organizam com muita garra esse festival. Segundo alguns realizadores participantes que vieram de outros estados, dificilmente eles têm uma atenção tão relevante como tiveram aqui.

Queria registrar também a chance que o jornalista do Caderno Dois, Vitor Lopes teve de não se manifestar com tanta precisão. Não estou pedindo uma censura de opiniões, mas uma contextualização na crítica ou uma verificação nas afirmações. Como pode alguém escrever sobre um festival e sobre os vídeos nele apresentados, sem mesmo ter assistido todos concorrentes? Talvez sem ter a noção da magnitude de um texto publicado no principal veículo de informação do estado, o Vitor acabou julgando um festival que é primeiramente universitário e que tem a simples proposta de ser um espaço para realizadores. Ano passado mesmo, ele realizou, participou, venceu e me pareceu bem contente com o resultado. Confusa essa nova atitude do Vitor, mesmo sabendo que ele desta vez estava lá na proposta de escrever uma crítica sobre os trabalhos. Acho que um atraso de 30 minutos no primeiro dia de um Festival e os outros problemas técnicos por ele apontado, não estão descontextualizados da história do REC, da proposta do REC, da situação comercial do REC e nem impedirão um destino promissor para REC. Não é notícia atraso de 30 minutos. É birra. Se ele quis ser polêmico, ao menos aqui, neste super, mega, ultra, polêmico blog, ele conseguiu ser citado. Nossa adoro a humildade. Vitor, para ser alguém polêmico a pessoa tem que primeiramente ser irônico, segundamente ser bem humorado, terceiramente e mais difícil, tem que fingir ser original. Tente isso aí, eu já desisti. Ninguém me acha polêmico, só minha mãe mesmo e ela odeia isso. Queria ser polêmico mesmo, mas acabo sempre me contradizendo é um porre!

Pode até parecer imparcial eu defender o festival em que conquistei alguma coisa. Mas ao menos aqui é o meu blog e além disso está aberto a todos. Qualquer um, inclusive o Vitor, pode chegar aqui e dizer que eu escrevi merda, que eu exagerei, que eu peguei pesado, que eu não sei gramática, que eu sou metido, que eu sou legal, que sou leigo, que eu perdi a oportunidade de ficar quieto, que eu escrevo demais e que eu escrevo de menos. Há uma diferença de interatividade e de proposta. E há uma diferença entre liberdade e informação imposta. Eu já tinha escrito a parte deste texto em que falo sobre a notinha do Vitor, antes mesmo de saber os resultados, mas por falta de tempo não publiquei, daí agora eu só acrescentei alguns dados.

No mais fiquei super feliz com o festival, com o super Jorge, com H3 e com os resultados é claro.

Chega de xorumelas e vamos ao que interessa. O resultado e o link para assistir os vídeos vencedores.

Melhor Vídeo
O LOBINHO NUNCA MENTE
Ficção, 11’26
Direção: Ian S. B. Fernandes
Universidade Estácio de Sá do Rio de Janeiro

Melhor Documentário
CAVE CANEN
Direção: Maria Ines Dieuzeide Santos Souza
UFES

Melhor Vídeo Clipe
KAMPALA
Direção Elisa Carareto, Eduardo Barbosa, Victor Canela
UFSCar

Melhor Vídeo Arte
ESCUCHA
Direção Douglas Pego
UFMG

Melhor Vídeo Publicitário
A GENTE FAZ TV PENSANDO POR VOCÊ
Direção: Coletiva
UFES

Melhor Ficção
H3
Direção: Marcos Luppi
FAESA

Melhor vídeo do júri popular
O LOBINHO NUNCA MENTE
Ficção, 11’26
Direção: Ian S. B. Fernandes
Universidade Estácio de Sá do Rio de Janeiro

MENÇÕES HONROSAS

VÍDA ORDINÁRIA
Direção: Essi Rafael,
UFSCar

PAIK FOR KIDS - sem link
Direção: André Góes Mintz
UFMG

6 comentários:

Julia Pedreira disse...

caracas manteiga, sempre soube q vc seria famoso, mas achava q seria ministro da fazenda no meu governo! haha

parabéns mlk.

vo ver o seu video, depois comento.

ViSo disse...

Totalmente a favor de uma jornalismo crítico e livre! Poucas colunas apontando erros foram suficientes para jogar no ostracismo a capa da edição de dois antes em que o festival era festejado (com o perdão da aliteração). É sempre assim, o jornalismo só é bom qnd nos lambe... Maturidade, s'il vous plaît.

(eu vou te mandar o texto q tinha escrito para colocar aqui)

avraço

Walter Pena disse...

Parabéns, zé ruela!

Vc merece muito mais.

marcluppi disse...

leo viso
mas será que festejar tb não é apontar erros sobre os dias sem festejo?

e a maturidade é quase sempre mesmice
mesmo quando ela se coloca como crítica, alternativa ou de vanguarda

a maturidade faz parte pra mim, de um futuro derrotado... não quero ela pra mim... prefiro ter erros e prefiro discuti-los todo dia.

Maria disse...

Enfim assisti seu curta, e realmente gostei...
Parabéns Markinhos! vc ta muito chick! ainda bem q num ta muito metido...rsrs

ViSo disse...

eu já discuti com vc no msn!
hehehhehehehe
decidi não de ajudar na polemica, por mais q eu tenha um resposta pronta na sua replica... (alias, ela mesmo se responde)...

abraço