quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Monorail

Ouvi dizer que um tal de Teteco já está prometendo, mas, desde minha infância acredito na idéia de se implantar o metrô-aéreo aqui em Vitória. Mas não é o metrô de superfície do Coser, mas o chamado Monorail, ou melhor, monocarril, ou melhor ainda, monotrilho!
Meu vasto estudo (wikipédia e sites nada famosos) sobre o assunto, me dá a idoneidade de proferir sobre o tal. Vamos lá!
Projetado pela primeira vez na Irlanda em 88 do século retrasado, teve sua primeira linha implantada na Alemanha, em mil novecentos e pouquinho.
Disneylândia, Tokyo, Las Vegas, Kuala, entre outros lugares do mundo, também implantaram esse sistema de transporte em suas paisagens. E é na beleza que vem a primeira atração do veículo. Ele chama a atenção por seu design, na maioria das vezes, futurista.
O monotrilho funciona, como o próprio nome diz, com um único trilho, que este parece ser engolido, envolto por rodas paralelas pertencentes ao trem. Nussa! Como é difícil explicar isso. Juro que não consigo. Olha a foto que dá para entender melhor.
Ele é seguro. Dificilmente descarrila, ou colide com outros trens. Não cruza com pedestres ou outros meios de transporte, pois possui seu próprio meio, sua própria estrada. Porém, caso ele pegue fogo, o povo tem que decidir entre pegar fogo, ou quebrar o pé e viver com dor de coluna, ao pular pela porta de segurança (se essa abrir, ou existir, é claro). Pois como ele fica elevado e nós seres humanos somos baixinhos e nada atléticos (com algumas exceções olímpicas), a altura, que pode variar de acordo com a necessidade urbana, impede dos passageiros pularem com facilidades onibuzais. Mas acho que ele não vai pegar fogo.
Ele é rápido. Não pára em semáforos, não pega o trânsito da Reta da Penha, não varia a velocidade de acordo com o humor do motorista (eu acho), não tem que desviar de buracos, de pedestres loucos e metidos de Jardim da Penha (Esse parêntese é para falar deles! Gente, pedestre: não ache que porque você tem o direito, você pode fechar os olhos e sair atravessando as ruas, na faixa ou seja lá onde for. Os motoristas, as vezes, estão olhando no retrovisor, por exemplo e você, blau-blau. Espere o carro parar. Caso isso aconteça, atravesse. Caso contrário, espere e sobreviva. Ufa! Fecha parênteses.), entre outros obstáculos das vias repleta de bagunças.
Ele não polui: o meio ambiente, por ser elétrico (caso ele seja de um combustível poluente, desconsidere essa informação); O som, por ter rodas de borracha (já sabe); O visual, por ser uma maravilha do design e não tampar a visão do Convento, entre outros (ta ficando mais caro).
Como está sendo percebido, o Monorail pode ser a solução para os nossos problemas de trânsito. Eles ocupam pouco espaço, pois podem ser elevados por vigas únicas e proporcionalmente finas, se relacionadas a outros meios. Um carro do Monotrilho pode ter de 8 a 50 metros e transportar de 80 a 170 passageiros.
Aqui no Brasil tem um lugar que já tem essa parada doida aí. Mas já foi pro saco. É em Poços de Caldas. Acho que com intenção turística, acabou que vai ser desativado. (Corrija-me caso esteja errado, poçosdecaldenses)
São Paulo já teve uma proposta dessas, mas debochou da tecnologia (é claro, eles entendem tudo de trânsito). Curitiba e Rio de Janeiro são as cidades que eu, aqui de Vitória, sei que estão caminhando para terem o trem perneta.
Sei lá, chutando, acho que custaria uns $ 50 milhões de dólares por quilômetro. Incluindo todos os gastos. E sei lá também, acho que poderia cada estação, ou linha, ou trem (imagina as pinturas), ser um oferecimento de uma mega empresa, como a Vale, a Petrobras, a CST Arcelor Etc, entre outras. Para assim diminuir os custos.
Já o imagino passando em frente, ou entre, os grandes prédios da enseada e partindo para a Beira-mar, que também imagino cheia de prédios de inverno (prédio de inverno, pra mim, são prédios comerciais ou não, sem janelas e com cores bem escuras, tipo Chicago, sei lá).
Essa possibilidade tem que ser proposta, eu acho.
Valeu e desculpa se estou sendo qualquer adjetivo pejorativo.

Abraços
Marcos Luppi, 4 horas da manhã, para o SkyscraperCity, Notícias Capixabas III e padronisado.blogspot.com

7 comentários:

JOANNES LEMOS disse...

Acho que esse tal de Teteco está conseguindo chamar a atenção do jeito que ele gostaria. Pena que o monotrem dele e o metrô de superfície do Coser sejam obras fantasiosas. E não quero pagar para ver.
Bom seria se fosse verdade. E se tivesse de escolher, ficaria com o projeto do Teteco. O projeto dele é atraente!!
Abraços!

Ryan disse...

Meu caro amigo Marcos, acho muito pouco provável que um dia isso possa acontecer na nossa linda cidadezinha chamada Vitória! HAHAHA, mas gostei bastante da idéia. Ressalvas para os pedrestes de Jardim da Penha... quando estou rodando aquelas rotatórias geralmente olho bastante pelo retrovisor (6)!
Fiquem espertou ou então... blau blau


abraços amigo

Grazielly disse...

Podia ter mesmo.. que lindoo!! Mas acho Vitória muito pequeno pra essa tremzão ai... hehehe
acho q ninguém acreditou no Teteco e ele foi menos votado..tadinho! rsrs
Ah concordo com os pedestres de JP metidos a donos do bairro!!
bjus

fábio chamon disse...

hola marcos!

gostei da sua exposição sobre o monotrem e vou recomendar aos meus leitores.

parabéns!

fábio chamon

Bia disse...

Que legal achar esse blog!!
Quando Coser sugeriu o metrô de superfície eu pensei logo: "Mas que besteira, isso não resolve! Temos que fazer um metromover igual ao de Miami, só que mais extenso, se precisar"
Eu só não sabia àquela altura que o nome certinho é monorail. Pesquisando no google depois acabei encontrando...
Eu não acho exagerado nem faraônico e já proprus esse tipo de coisa até em Blumenau, que é no interior de SC. Qual o problema de Vitória ter um monorail? Nào acho nada demais. Aliás, acho uma idéia excelente! Eu apóio desde sempre essa idéia; até que me provem o contrário, sou totalmente a favor. E daí se custa um pouco mais? Custa menos que um metrô subterrâneo e $$$ o governo tem sim, pois pagamos um caminhão de impostos, kkkkk. Que desperdicem menos os recursos e assim sobra $ pra tudo!

Bia disse...

Ai, me irrita saber que meu povo capixaba é tão tacanho...putz!!!
O que é que tem de fantasioso numa obra como o monorail????
Fantasioso por que??
Diversas cidades no mundo têm monorail. Uma pesquisa simples no google já prova isso.
Vamos abrir a cabecinha, ô povo!!!
kkkkkkkkkk
Vcs querem que Vitória continue uma roça metida a capital pro resto da vida?
Vamos modernizar!! Vamos ousar!! Vamos aproveitar tudo o que a tecnologia tem pra nos oferecer! É uma vergonha um país RICO como o Brasil não ter monorail nas suas capitais mais congestionadas.
Boa notícia: eu li, não me lembro agora onde, mas um mês atrás, que São Paulo estará realizando a primeira etapa de seu monorail agora em 2010. Torço pra que sim!

sanrica disse...

Põe tacanho nisso! O Monorail,como é chamado, não tem nada de espantoso. Aliás, poucas coisas são tão simples e baratas no mundo. Taí o simples motivo pelos quais nossos bizonhos políticos não o inseriram em quase todas as cidades do Brasil, pricipalmente as capitais. Quer ver? O custo do km é 1/3 do Metrô, só mais caro, obviamente, do que linhas de ônibus. Dispensa desapropriações em quase todo o trajeto, suas fundações são simples e os próprios equipamentos são comuns(motores elétricos, freios e sistemas de portas; Monorail nem direção tem!!). Não derrapa, não cai lá de cima, não engarrafa, não pára fora das estações, não erra o caminho. Mas cumpre o que promete e esse é o problema aqui nesse país. É tão barato que o de Poços de Caldas e o Barrashopping no Rio (únicos do Brasil) foram feitos com dinheiro privado. Aí começa o problema do Monorail: é bom demais, é perfeito. Alem de não usar dinheiro público (o que não é negócio no Brasil), ainda acaba com monopólios de empresas de ônibus, máfias de taxi, vans e sindicatos da área. Por isso não é usado no nosso país.