quinta-feira, 5 de abril de 2012

O sol não atravessa

Nem sei porque ele fica lá
Bebi muito ontem a noite
Não pensei que teria que acordar nesta manhã de terça

Você estava caindo
Nem ascendi a luz da sala
Fingi dormir

A luz do sol não entra
Mas já faz tarde do outro lado
Você sabe o que fizemos

Não veja armas, por favor
Agora só vejo o reflexo dos raios no predio da frente
E as sombras das árvores

4 comentários:

Antônio LaCarne disse...

marcos, adorando os teus poemas!

Giovanna disse...

Belíssimo seu poema.
Deixa o sol entrar e fazer morada para te aquecer.
Vim conhecer seu blog, vou ficando. voltarei
Abraços
Giovanna

ulisses sebrian disse...

Olá!
tudo Bem! Eu vistei o seu blog e gostei. Entrei como seguidor se não se importa. Também tenho 4 blogs e gostaria que você os visitasse e se possível entre como seguidora. Obrigado.
Olhosdnoite.blogspot.com.br
Truquedevida.blogspot.com.br
Melquisarcarde.blogspot.com.br
Concientein.Blogspot.com.br

Fred Caju disse...

Seu blog tem um título foda. E conteúdo de primeira.